GRAMEIRA 11111
GRAMEIRA 1
Protesto

Em protesto, indígenas dormem pela segunda noite na Câmara de Porto Velho

Entre as reivindicações apresentadas pelos indígenas estão melhorias nas estradas de acesso às aldeias e problemas na rede de energia elétrica.

07/11/2019 10h44Atualizado há 1 semana
Por: REDAÇÃO ENTRETENIMENTO
Fonte: G1 Rondônia
Foto: Rondoniaovivo
Foto: Rondoniaovivo

Indígenas de nove aldeias da Ponta do Abunã dormiram pela segunda noite seguida na Câmara Municipal de Porto Velho para pedir melhoria nas estradas de acesso às aldeias. O protesto também pede uma melhor energia elétrica nas comunidades.

Os indígenas ocuparam a Câmara na terça-feira (5). Já na quarta-feira (6) estava marcada uma audiência para tratar exclusivamente sobre o transporte escolar, com pais e mães de alunos do distrito de Ponta do Abunã, e os indígenas aproveitaram para reivindicar seus pedidos.

Marizina Cézar Cacharari, líder indígena, conta que o acesso às aldeias é um dos motivos da revindicação na Câmara.

"As pontes estão quebradas e estão acontecendo muitos acidentes. Outro motivo pelo qual reivindicamos é que a nossa rede de energia é ruim também, pois falta luz dentro da comunidade", diz.

Além dos indígenas, moradores do distrito de União Bandeirantes também estão na Casa de Leis para reivindicar a normalização do transporte escolar.

"Esse ano praticamente já acabou. Queremos que pelo menos no ano que vem os alunos possam ter um ano letivo completo", diz Roniclei Pereira dos Santos, comerciante no distrito.

Para o produtor rural Josué Vieira, a falta de maquinário para fazer as estradas do distrito é uma problema. "O maquinário que tem em Abunã são duas caçambas, uma pá-carregadeira e uma patrola, e isso não dá conta de fazer estrada", afirma.

A maioria das autoridades convidadas não apareceu na audiência da Câmara. Um dos convidados que tentou dialogar com a categoria foi o secretário de Educação, Márcio Félix.

A discussão vem depois de muitas outras medidas já tomadas pelo Ministério Público e Justiça, como a intervenção no sistema, e o fim dela. Passando novamente e responsabilidade do transporte terrestre à Prefeitura de Porto Velho.

  • Em protesto, indígenas dormem pela segunda noite na Câmara de Porto Velho